ee

ee

quarta-feira, 7 de março de 2012

Europa: Software luso gere redes de transportes

É português o software que gere os recursos do Metro de Londres e várias redes de comboios da Europa do Norte. Criada nos anos 80, a empresa de inteligência artificial de João Pavão Martins e Ernesto Morgado é símbolo de inovação e excelência a nível internacional.

Quando pensaram a SISCOG - Sistemas Cognitivos -, os dois amigos e colegas tinham já o objetivo de abrir caminho numa área inovadora. Tudo começou em 1980, quando os seus dois fundadores faziam o doutoramento em Inteligência Artificial (AI) na Universidade Estadual de Nova Iorque, nos EUA.
"Colegas e amigos já desde a licenciatura no Instituto Superior Técnico, percebemos nos EUA que a aplicação dos conhecimentos que estávamos a obter -  Inteligência Artificial - quando aplicados a novos projetos obtinham sempre sucesso" explica, ao Boas Notícias, João Pavão Martins (na foto).

De regresso a Portugal, os dois engenheiros estavam decididos a aplicar as técnicas aprendidas lá fora. Tinham como objetivos "atuar num nicho de mercado, desenvolver produtos próprios ao invés de prestar serviços e apostar no mercado internacional". Vinte e cinco anos depois, os mentores podem orgulhar-se de terem atingido as três metas.
"O que é nacional é bom"
A consolidação da empresa do mercado português arrancou de forma positiva, graças ao contrato com a tecnológica Sperry (ex-Unisys), em 1985, para o desenvolvimento de um sistema pericial.

Outro factor determinante para a consolidação inicial da SISCOG, foi a iniciativa da empresa de criar dois protótipos gratuitos para as duas primeiras empresas que se mostrassem interessadas nesta oferta. Foi assim que a SISCOG desenhou um software de planeamento de turnos de tripulantes para a TAP e um programa de gestão de excedentes de tesouraria para o BNU.

João Pavão Martins acredita que "o protótipo para a TAP acabou por determinar o que viria a ser a área de atuação da SISCOG": o planeamento e a gestão de recursos de empresas de transporte, nomeadamente de "pessoal, veículos e horários".
O caminho não foi fácil sobretudo porque, em meados dos anos 80, era ainda necessário "convencer as empresas portuguesas de que a Inteligência Artificial poderia fornecer soluções informáticas competitivas". João Pavão Martins garante ainda que foi preciso "lutar contra a tendência dos portugueses pensarem que o que é nacional não presta e que o que é estrangeiro é bom".

De Portugal para o Mundo
No plano internacional, o principal desafio da SISCOG foi o de mostrar "que uma empresa portuguesa fosse fornecedora de tecnologia inovadora, quando o nosso país estava conotado internacionalmente como fornecedor de mão-de-obra barata e não qualificada", diz o CEO.
Hoje, os softwares CREWS (gestão de pessoas e turnos), e os mais recentes FLEET (planeamento de material circulante) e ONTIME (planeamento de horários) - os principais desenvolvidos pela empresa -, atuam com clientes tão importantes quanto o Metro de Londres e o Metro de Lisboa. Os sistemas organizam também os caminhos-de-ferro da Finlândia, Noruega, Holanda e Dinamarca (neste momento os CREWS regem ainda os comboios suburbanos de Copenhaga).
O Metropolitano de Londres, realça João Pavão Martins, "andava há mais de vinte anos à procura de uma solução para o planeamento dos seus maquinistas". Em 2005, num concurso público internacional, a SISCOG apresentou um protótipo de demonstração que provou ao sistema de transportes as vantagens de adquirir o sistema CREWS da empresa. 

O projeto português foi vencedor por mostrar que "resolvia o problema do planeamento dos maquinistas" e também por introduzir "poupanças significativas em relação aos planos produzidos por planeadores humanos", assegura o CEO.
A SISCOG foi, em 1993, a primeira empresa portuguesa a exportar software. "Neste momento cerca de 85% do nosso volume de faturação é para o exterior, mas se considerarmos o total de volume de negócios desde o início da empresa andamos à volta dos 93%.", assegura o fundador da empresa.
A expansão para outros países ainda está em curso e há planos para que a área de atuação saia da Europa, nomeadamente para a China, o Brasil e os Estados Unidos.

O cliente mais antigo está com a empresa há cerca de 20 anos
Os concorrentes mais diretos da empresa são originários dos EUA, Canadá e Alemanha. As empresas restantes que atuam na área "não são tão especializadas como a SISCOG".
É o facto de a empresa se ter especializado numa área muito concreta que a distingue das suas competidoras. De acordo com João Pavão Martins esta é "a empresa com mais experiência no domínio dos caminhos-de-ferro, e com elevadas capacidades de otimização nesta área".
O fundador destaca ainda "a qualidade do software" disponibilizado aos clientes, "as capacidades de otimização com consequência em ganhos efetivos para as empresas, o "suporte e serviço de manutenção" dado e a "inovação constante" com que os produtos vão sendo introduzidos.

Por estas e outras razões, a SISCOG é um modelo a seguir pelas empresas portuguesas. Graças à sua aposta na excelência, esta "velha" empresa de produtos inovadores tem clientes que estão consigo "há perto de 20 anos", numa prova irrefutável de fidelização.

Clique AQUI para visitar o site oficial da SISCOG.


in BoasNoticias - 28/02/2012

Sem comentários:

Enviar um comentário