ee

ee

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Portugueses criam "casa tipo Lego"

Uma casa versátil que pode ser rapidamente construída e desconstruída é a grande novidade da empresa coimbrense Cool Haven. “Resistente, económica, ecológica” são atributos que definem este novo conceito de casa.

Joaquim Rodrigues, cofundador e administrador da empresa, refere à Lusa que esta casa diferencia-se de todas as outras com o seu “sistema modular versátil, seguro e rápido", não sendo sequer equiparada a uma casa pré-fabricada.

De acordo com o responsável pela Cool Haven, este conceito de casa faz lembrar as construções da famosa marca Lego, na medida em que é possível alterar a sua dimensão, adicionando ou retirando divisões.

Também é possível desconstruir uma parte da casa e utilizar essa parte para reconstruir outra casa noutro local, visto que os elementos mais pesados têm no máximo de 120 quilos. Além disso, esta casa cabe num espaço de cerca de 12 metros e "tem um tempo estimado de construção inferior a um mês".

Segundo Joaquim Rodrigues, a desconstrução "é tão fácil e tão simples como a construção", mantendo o seu grau de segurança, mesmo em casos de "atividade sísmicas ou tempestades ciclónicas".

Casa inteligente e ecológica

“Uma casa inteligente”, é assim que Joaquim Rodrigues descreve esta novidade que disponibiliza as mais recentes tecnologias de domótica - que permitem a gestão de todos os recursos habitacionais -, graças à parceria da Cool Haven com empresas e estabelecimentos de ensino e investigação, nacionais e internacionais. Aliás, foi com a Universidade de Coimbra que o projeto foi iniciado.

Esta casa é amiga do ambiente, pois há a possibilidade de equipá-la com um sistema de aproveitamento de energias renováveis e de recuperação das águas das chuvas."Pretendemos, não só na manutenção, mas também no fabrico, construção e instalação, produzir zero de CO2" (dióxido de carbono), destaca Joaquim Rodrigues, à Lusa. 

700 euros por metro quadrado

A empresa Cool Haven torna-se, assim, pioneira na criação de "uma coisa que ainda não existe no mundo: uma marca de casas", refere o responsável à Lusa.

A Cool Haven vê esta casa como uma boa aposta para a habitação, mas pode, no entanto, ser utilizada para outros fins.

O preço destas casas depende das dimensões, equipamentos e acabamentos, atingindo “valores da ordem dos 700 euros por metro quadrado". No parque tecnológico de Coimbra, iParque, já pode ser vista a primeira casa Cool Haven.

A empresa tem “já algumas encomendas para Portugal e França". No entanto, Joaquim Rodrigues explica que a empresa continuará com a sua “investigação e estudos de aperfeiçoamento deste novo sistema construtivo".


Esta notícia tem conteúdo multimédia, clique aqui para visualizar

Clique AQUI para saber mais informações no site oficial da Cool Haven.

in Boasnoticias - 21/02/2012



Sem comentários:

Enviar um comentário