ee

ee

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Portugueses criam gomas que fazem bem à saúde

Dois portugueses criaram uma alternativa muito doce para quem quer continuar a sucumbir à gulodice sem deixar de preocupar-se com a saúde. Além de satisfazerem os mais gulosos, as gomas saudáveis Nutrally, desenvolvidas por Silvino Henriques e Filipa Rocha nos laboratórios da incubadora de empresas da Universidade Católica do Porto (UCP), trazem até benefícios ao organismo de quem as consome.

por CATARINA FERREIRA
 
Foi há cerca de um ano atrás que Silvino e Filipa, ainda a estudar na Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da UCP, decidiram apostar num novo produto alimentar depois de uma investigação académica sobre alimentos funcionais. Restava apenas saber que produto seria e a escolha acabou por recair... nas gomas.
 
"Desde o primeiro momento que as gomas nos pareceram um alimento 'simpático' pela sua portabilidade e pelas associações positivas nos consumidores, fatores que as tornam capazes de responder às exigências da vida moderna e atual", conta Filipa Rocha em entrevista ao Boas Notícias.
 
Mas, afinal, como conseguiram os dois investigadores transformar as gomas - compostas maioritariamente por açúcar - num produto bom para a saúde?

"Reformulámos as gomas convencionais, que têm cerca de 80% de açúcar na sua composição, com ingredientes substitutos não calóricos", essencialmente "adoçantes naturais" e "gelificantes vegetais", explica.
 
Em complemento, a marca criada por Silvino e Filipa tem apostado numa abordagem ao produto "um pouco diferente do habitual" em termos de sabor, forma e cor, para "marcar a diferença" e dar às gomas Nutrally um caráter ainda mais inovador.
 
Como é natural, graças aos ingredientes que as constitutem, estas gomas apresentam vantagens face às convencionais "cujo objetivo principal é somente recreativo", considera Filipa. "A ideia subjacente ao nosso produto é a de aumentar o valor nutricional das gomas, para promover a saúde e o bem-estar", salienta.
 
Com efeito, a start-up dos dois investigadores está já a "desenvolver formulações com propriedades acrescidas" trazendo gomas que são, por exemplo, ricas "em fibras, vitaminas e minerais".

Um negócio para levar além-fronteiras
 
A principal dificuldade com que se têm deparado é, provavelmente, o processo de produção destas gomas, "um pouco mais complexo do que o padronizado neste tipo de alimentos, uma vez que implica equipamentos especializados que garantem a não destruição de ingredientes ativos durante o fabrico, a sua manutenção e qualidade técnica no produto final".
 
Em consequência, Filipa e Silvino estimam que "cem gramas de gomas poderão custar entre cinco a sete euros", um preço mais elevado motivado por um melhor perfil nutricional, o que lhes dá "um valor mais próximo do preço do chocolate". 
 
Por enquanto, as gomas Nutrally ainda não estão no mercado, mas os seus criadores têm objetivos bem definidos para o futuro. "Temos vindo a manter contactos com alguns pontos de venda na cidade do Porto", desvenda Filipa, que coloca também a possibilidade de levar o negócio além-fronteiras.
 
"Além de querermos estar presentes noutras cidades portuguesas, não excluímos a hipótese de vender para o estrangeiro, até porque acreditamos que, ao exportarmos este produto, teremos maiores probabilidades de sucesso e notoriedade", afirma a investigadora.
 
Ao nível da produção, o principal objetivo a curto-prazo é conseguir "entrar no mercado e iniciar parcerias" até ao final do ano. "No que respeitva à investigação, continuaremos a procurar as áreas nutricional, funcional e nutracêutica, nomeadamente na incorporação de bactérias probióticas - benéficas ao nosso organismo", antevê.

Clique AQUI para aceder ao site oficial da Nutrally e AQUI para visitar o Facebook.
 
in Boasnotícias - 26/06/2012

Sem comentários:

Enviar um comentário